Trinidad e Tobago, 2015


Dicas:

  • Quando estiver próximo à escala em Barbados (se o seu voo fizer a escala lá) não deixa de prestar atenção na janelinha do avião, pois a vista é linda;
  • Mesmo que esteja em clima quente aqui no Brasil, não deixe de levar um casaco e um par de meia para o voo, pois o ar condicionado do avião poder ser muito forte;

  • Chegando no aeroporto de Tobago, pegue o mapa da ilha, pois vai auxiliar muito durante a estadia, sem falar que é gratuito;

  • Se ao chegar em Tobago ainda for para Trinidad, deixe uma janela de ao menos 2 horas entre a chegada prevista em Tobago e o voo para Trinidad;

  • Encontre sua passagem de Trinidad para Tobago em http://www.caribbean-airlines.com;

  • Fique ligado nas estações do ano em Trinidad e Tobago, pois há mudanças de estação fortes, principalmente da chuvosa para seca;

  • Conheça os feriados de Trinidad e Tobago em http://www.destinationcaribbean.net, pois tudo fecha e a cidade fica deserta;

  • Agende seus passeios de Trinidad em http://www.islandexperiencestt.com/;

  • Agende seu mergulho de Tobago em http://www.underseatobago.com;
  • Se gosta de festa, procure as melhores em http://islandetickets.com/;
  • Troque US$ por TT$ no aeroporto de Trinidad;
  • Alugue o carro de uma empresa grande (Buget, Alamo, etc) e, de preferência, automático;
  • Faça o passeio mais legal de Tobago: Bucco Reef e Nylon Pool;
  • Leve sua comida e bebida para a praia;
  • Para conhecer a Little Tobago, vá antes para Speyside Bay. Isso vai fazer você economizar uma grana.


Uma semana de muitas coisas diferentes ...

Após algumas brigas com a Gol conseguimos pegar nosso voo para Tobago!!! Saía de Florianópolis, fazia escala em Guarulhos, depois em Barbados e por fim em Tobago. Apesar de algumas paradas e de pouca/nenhuma opção de entretenimento durante o voo a viagem passou rápido. Menos de uma hora entre Floripa e SP, aproximadamente 5h30min entre SP e Barbados e depois mais 40 min entre Barbados e Tobago. O tempo de escala nos aeroportos foi suficiente para conseguirmos fazer todos os procedimentos tranquilamente (despachar, check in, embarque, desembarque, achar portão, etc..) não tendo nenhuma espera superior a 30 min.


O engraçado foi ver a escala em Barbados. Além da vista aérea linda do lugar, mais de 2/3 do voo desembarcou lá. Foi interessante ver como tão poucas pessoas seguem viagem rumo à Tobago. Inclusive na volta o policial que estava fiscalizando o aeroporto de Tobago entre suas várias perguntas de praxe (qual o nosso relacionamento, onde ficamos, de onde éramos, etc..) nos questionou:


"Por que escolheram conhecer Tobago e não Barbados?"


Bom, chegando em Tobago passamos pela imigração local e já pegamos um mapinha da ilha enquanto estávamos na fila. Esse mapa nos acompanhou até o final da viagem - ótimo guia. Passando pela imigração e pegando as malas, já fomos correndo pegar o voo da Caribbean Airlines para Trinidad. Compramos o voo do Brasil mesmo pelo site http://www.caribbean-airlines.com, e pagamos USD48 ida e volta, por pessoa. Esse voo doméstico eles tem de meia em meia hora e tem duração de aproximadamente 25 min. A aeronave é uma turboélice, muito parecida com as aeronaves menores da Azul no Brasil. Quando compramos a passagem para Trinidad pegamos a partida 2 horas depois da nossa chegada prevista em Tobago, e isso foi fundamental. O nosso voo acabou atrasando um pouco e pegamos um pouco de fila para passar no raio X com as malas no aeroporto de Tobago. Com isso chegamos em cima do laço para o voo. Então se você está planejando conhecer Trinidad também, deixa uma janela de ao menos 2 horas entre os voos.


Imagem1.png
IMG_8615.JPG

Trinidad


Moeda

Cotação de dezembro de 2015: 1 USD = 6,32 TTD, no aeroporto. Nas lojinhas era 1 para 6. Todos os lugares aceitam as duas moedas, mas quando se fala em dólares americanos, cada vendedor faz o seu preço, o que variava entre 6 e 6,30.



City Tour em Trinidad

Havíamos planejado fazer um passeio para conhecer umas cavernas e descobrimos no mesmo dia que estava fechada devido ao final de ano, que era considerado feriado a semana toda. Procuramos o que fazer no TripAdvisor durante a noite e encontramos uma empresa chamada http://www.islandexperiencestt.com/ ... foi a salvação, pois enviamos um e-mail para eles e passei nosso número do whatsapp para nos comunicarmos. Foi sensancional, pois em menos de 1 hora recebi uma mensagem deles oferecendo alguns passeios diferentes em Trinidad. Haviam duas opções interessantes:

  1. Conhecer umas praias e fazer umas caminhadas para umas cachoeiras;
  2. Fazer um City Tour para conhecer a cultura da ilha.


Como o dia amanheceu em Porto of Spain abaixo de MUITA chuva, optamos pelo City Tour, a um preço de USD65 por pessoa. 

O guia que nos levou no passeio foi o Ricardo. Muito simpático. Além de nós, havia duas americanas no city tour. O passeio começou pelo mercado público de Trinidad. Lá você consegue encontrar carne de tubarão (alimento comum principalmente no café da manhã), pimenta de escorpião - essa pimenta tem que pegar pelo cabinho, que se tocar nela já queima a mão, ao menos é o que dizem! Mas preferimos não arriscar e acreditar neles! Além de frutas típicas, temperos fortes e itens comuns de qualquer mercado público. Como era feriado, a maioria das barracas já estavam fechadas, mas já valeu o passeio. No final ainda ganhamos um doce indiano para experimentar.


Depois do mercado fomos a um belíssimo templo indiano, chamado Dattatreya Temple. Nele foi construída uma escultura enorme, chamada Hanuman, que levou 3 anos até ficar pronta. Toda feita à mão. A cultura hindú lá é muito forte. Abaixo há algumas fotos...


Depois fomos ao segundo templo, chamado Sea at Waterloo, nome do templo que era perto do mar. Mais simples, porém bem legal também. Era possível encontrar várias oferendas no mar, desde vazinhos a escultura. lindas! O Matheus já quis garantir o souvenier ali mas o guia não deixou... Rs. Mas o que mais nos chamou a atenção na visita do segundo templo foi ver um funeral hindú acontecendo. Haviam pessoas de preto (ok, normal para um funeral), música triste rolando, e uma fogueira! Tipo aquelas de são joão! Com bastante madeira e fogo bem alto! Não achei uma prática muito normal para um funeral, mas perguntei para o guia... e aí ele respondeu:


"Eles estão cremando um corpo ali! Você não sabia?"


O choque cultural foi muito grande nesse momento! É sempre bom ver coisas diferentes na vida ... mas aquela foi tensa! 


Para finalizar o passeio o nosso guia queria porque queria que a gente experimentasse a bebida típica do lugar: um tal de Punch. É um rum com 75% de teor alcoólico e que, por mais incrível que pareça, ele não rasga a garganta quando desce. Levamos um pra casa na volta da viagem, agora só falta descobrir como fazer drinks com ele... pelo que vimos é na base do limão, quem sabe sai uma tentativa de caipirinha... Rs. Segundo o Ricardo, o nome é porque quando você começa a beber você não sente nada muito forte até que.... PUNCH! Entendeu? rsrs


Bom, e foi assim que finalizamos o nosso city tour. Foi uma excelente opção para um dia de chuva. Aprendemos bastante sobre a cultura local e a cultura hindú também que de quebra deu uma pontinha de vontade de ir pra Índia ver mais desses templos.


Em geral Trinidad não tem muita opção de turismo. Ela é mais voltada para negócios, deixando o turismo para a sua irmã Tobago.



IMG_8631.JPG

IMG_8626.JPG
IMG_8682.JPG

IMG_8644.JPG

IMG_8637.JPG
IMG_8638.JPG

IMG_8647.JPG
IMG_8656.JPG

IMG_8653.JPG
IMG_8663.JPG

IMG_8654.JPG
IMG_8658.JPG

IMG_8680.JPG
IMG_8675.JPG

IMG_8672.JPG
IMG_8662.JPG

Bairro Belmont

O bairro Bemont é onde ficava o nosso hotel, além do Savannas Park, o Zoológico e o Zoobotânico. Esse foi um bairro povoado na chegada dos africanos em Tobago.


Lá é onde se encontra o Savann´s Park. Um parque bem extenso com espaço para corrida ao redor dele e um extenso gramadão. É lá também onde acontece o famoso Carnaval de Tobago. Então pra quem está planejando passar o Carnaval lá, o bairro é uma excelente localização. Fora do carnaval não pareceu ter muitos atrativos. Apenas um dia a noite houve um "street food" que era nada mais que três barraquinhas bem simples vendendo a comida típica de lá. Vimos alguns nativos indo pegar marmita. Optamos pro jantar no TGI Fridays que era ali em frente ao parque. Fomos no garantido. Rede americana com tema de sport bar. O atendimento lá não foi muito bom. A garçonete estava um pouco perdida com os pedidos e vários itens do cardápio também não estavam disponíveis. Mas no final foi uma ótima opção de jantar. Nesse mesmo dia almoçamos em uma pizzaria local chamada Mario´s. A pizza estava boa mas nada que impressionasse muito e o preço era razoável.... É uma boa opção para quem quer fugir da comida local.


O zoológico, chamado Emperor Valley Zoo, fica bem em frente ao parque (sim, muitas coisas fcam em frente ao parque, é um parque bem grande). Ele é bem completo (leão, tigre, macacos, cobras girafas, entre outros..).. Os animais lá parecem ser bem tratados. Consideramos um passeio legal para quem está de bobeira pelo bairro. 30TTD para pessoas acima de 15 e 15TTD para pessoas abaixo de 15 anos.

 Ao lado do zoológico fica o zoobotânico, Demos apenas um passeio rápido lá pois estávamos em cima da hora pra ir pro aeroporto. Ele é muito bonito e muito bem cuidado também. O passeio lá é gratuito e é um excelente local para dar uma relaxada e ver paisagens bonitas.


IMG_8781.JPG

IMG_8697.JPG
IMG_8708.JPG
IMG_8704.JPG

IMG_8730.JPG

IMG_8731.JPG
IMG_8745.JPG
IMG_8734.JPG

IMG_8775.JPG
IMG_8768.JPG

IMG_8779.JPG

Tobago


Carro

Alguns hoteis fornecem a opção de aluguel de carro no próprio hotel. Foi o que fizemos e não recomendamos. Nos pareceu mais um barato que saiu caro. No final das contas tivemos que pagar os traslados aeroporto hotel, o carro que tínhamos reservado já não estava mais disponível e ainda cobraram mais caro do que havíamos acordado inicialmente, por e-mails. Então para não se incomodar, e pra não haver surpresas, vale a pena pegar o carro de uma grande rede mesmo (buget, alamo, hertz, sixt, etc). Com elas você consegue pegar o carro no aeroporto e deixar lá na hora de ir embora.


Deixe-me explicar a revolta do carro ... Alugamos o carro através do próprio hotel, pagando USD60 a diária! Foi um rolo só, porque havíamos reservado por USD40 a diária dois meses antes de viajar, mas no dia do check-in nos falaram que haviam mandado um e-mail de confirmação do carro há dois dias e ninguém respondeu! Era óbvio que estava confirmado! Mas resumindo... não achei o e-mail até hoje e acabamos pagando a mais para não nos incomodarmos!


Foi fundamental o aluguel de um carro em Tobago, pois fizemos cerca de 300km em 5 dias e mesmo assim não conhecemos algumas partes da ilha! Como os táxis eram caros, valeu muito a pena alugar um carro, pois além de ter a experiência de dirigir em mão inglesa e com o volante na direita, a gasolina era bem barata, 3,113 TTD por litro. Isso era o equivalente a R$2,05/litro.


Cuidado com as estradas, elas são muito sinuosas e com muito morro! Para quem conhece Santa Catarina, poderia dizer que as curvas eram piores que a Serra do Rio do Rastro, sendo que muitas vezes só passava um carro. Numa parte do vídeo da viagem aparecerão as estradas...


Se você não tem tanta segurança no volante, o aconselhável é já ficar na parte sul da ilha pra não precisar tanto do carro e da estrada. Porém mesmo pra quem for ficar na região sul o aluguel de carro dá a liberdade para conhecer as outras praias da ilha.


​Valores dos taxis: 35 USD do aeroporto para o hotel em Port of Spain. Já em Tobago foram 40USD do aeroporto para hotel em Tobago.


IMG_9161.JPG
GOPR1199.JPG
IMG_8804.JPG

IMG_9231.JPG
IMG_8977.JPG

Hotel e Castara Beach

Bom, uma vez as passagens compradas chega a hora de ver onde ficar. Pesquisamos bastante e a ilha tem desde as opções mais em conta como opções de resorts com maior conforto. A área sul da Ilha (Crown Point) é a mais procurada e com mais praias com aquele marzão característico do Caribe e por isso normalmente os hoteis lá são mais caros. Como a ilha era pequena (300km²) optamos por ficar no meio da ilha na ala dos hoteis mais em conta. Ficamos no hotel The Naturalist Beach Resort. Ele fica na praia Castara e é de frente para o mar. É um hotel simples com café da manhã incluso e os quartos tinham cozinha - o que ajuda pra dar aquela economizada na hora do jantar. Compramos umas pizzas de pepperoni prontas e um refrigerante local muito bom, chamado "Lemon, Lime and Bitters", e isso nos fez felizes por alguns jantares. Pagamos U$50 a diária. De lá estávamos a aproximadamente 30km de distância das pontas norte e sul da ilha. Pra quem optar por ficar em um lugar mais afastado o aluguel de carro é fundamental. Compramos as diárias através do www.hoteis.com (as vezes a opção mobile possui promoções melhores que a versão de computador - vale pesquisar nas duas versões).


A região de Castara é muito típica de vila de pescadores. é possível ter contato com o pessoal nativo, são muito simpáticos. Já no primeiro dia fomos convidados por um nativo pra ir no bar da região que o pessoal iria se encontrar por lá. Há vários mercadinhos pela área, mas bem pequenos... a ponto de uns terem uns 10m²! A praia é muito bonita e boa para banho também. O por de sol nem se fala né? Lindo! É possível ver através do timelapse feito pelo Matheus no vídeo abaixo.


Gostávamos de, depois de um passeio, assistir ao por do sol do estacionamento do hotel tomando uma Carib (cerveja local) e comendo uns salgadinhos. Lá também era possível ver o show de caça dos pelicanos... A região proporciona aqueles momentos simples que nos faz pensar que deveríamos fazer mais disso no dia a dia. Sentimento de paz.


A única parte negativa da praia é que tinha bastante galinha na areia. Não sei o que elas faziam lá, mas enfim, os visitantes éramos nós. rsrs


IMG_8785.JPG
IMG_8788.JPG

IMG_8798.JPG

IMG_8806.JPG
IMG_8789.JPG

IMG_8793.JPG

G0011140.JPG
G0011151.JPG

GOPR1166.JPG

IMG_8807.JPG
IMG_8808.JPG

IMG_9031.JPG
IMG_8918.JPG
IMG_8920.JPG

GOPR1188.JPG
IMG_9169.JPG


IMG_9167.JPG

Pigeon Point

Essa é a praia mais top de Tobago! Na ponta sul da ilha, próxima ao aeroporto, encontra-se dentro de um complexo cercado e muito bem preservado! Na entrada, 20TTD por pessoa e uma fitinha no braço, caso queira sair e voltar sem pagar! A praia dispõe de mesas e bancos para deixar suas coisas e fazer um lanche, há banheiros, chuveiros, restaurantes, lojas de souvenirs, aluguéis de jet ski, pranchas de wind surf, pranchas para stand up e também passeios para a Nylon Pool e Buccoo Reef! Esses sim, imperdíveis! Pega-se um barco com fundo de vidro (todos os barcos que fazem passeio na ilha tem, rsrs) no trapiche e de lá vai para o Bucco Reef fazer snorkel! A partir de lá parte para a Nylon Pool, uma região no meio do mar em que a profundidade é de mais ou menos 1 metro, a água é muito cristalina e a areia é branca! Sensacional! Dizem que se passar aquela areia na pele da uma rejuvenescida e se dar um beijo embaixo d’água é sinal de amor eterno! Rsrs ... Garantimos os dois!

O passeio para Nylon Pool, com snorkel em Buccoo Reef, custou USD40 por pessoa.


IMG_9203.JPG
IMG_8850.JPG

IMG_8811.JPG

IMG_9207.JPG
G0291492.JPG

IMG_8829.JPG

G0281463.JPG
IMG_8834.JPG

IMG_9226.JPG
IMG_9225.JPG

G0051211.JPG
G0081278.JPG

G0101290.JPG
G0121297.JPG

G0341585.JPG

IMG_8822.JPG

G0632916.JPG
G0652922.JPG

G0201394.JPG
G0191371.JPG

GOPR1439.JPG
G0141326.JPG

G0241425.JPG
G0211402.JPG

GOPR1413.JPG
G0251430.JPG

G0261449.JPG
G0271456.JPG

G0351602.JPG
G0351620.JPG
G0131314.JPG

G0331558.JPG

IMG_8897.JPG
IMG_8886.JPG
IMG_8907.JPG


Englishman's Bay

Praia de cinema, porém a areia não é branca! Chegamos às 09:30h e saímos às 15h da praia! Bastante deserta e com coqueiros, cercada por montanhas, forma uma paisagem magnífica do conjunto! Quando o sol sai de traz das nuvens a cor da agua muda completamente, tornando-se muito bom para a prática de snorkeling, principalmente no lado sul da praia, que deve ter os seus 300 metros de extensão...Mas tome cuidado, pois há uma árvore venenosa na praia - pergunte ao pessoal que vende o artesanato que eles vão indicar qual é a árvore. Também há uma placa indicando para ter cuidado com a árvore.! A praia possui um restaurante e duas lojinhas de souvenirs, mas nada que tenha nos atraído muito! Era tudo feito a mão, muito bonito, mas voltados para pássaros e plantas. Essa é uma praia que fica localizada mais na região norte da ilha e que vale muito a pena conhecer e passar o dia. É legal levar lanches e bebidas para a praia também.


IMG_8929.JPG
G0512221.JPG

G0522334.JPG
IMG_9039.JPG
IMG_8992.JPG

IMG_9075.JPG

G0532365.JPG
G0562457.JPG

G0552418.JPG
G0542397.JPG

GOPR2430.JPG
G0502190.JPG
GOPR2431.JPG

Speyside e Little Tobago

Quando estávamos na Pigeon Point, ofereceram um passeio para Little Tobago por USD80 por pessoa! Mas conversando com um capitão, nativo, o mesmo nos informou que o melhor a fazer era pegar o carro e ir até Speyside, onde saiam diariamente os barcos para a “pequena Tobago”! Foi o que fizemos, e adivinha... fizemos o mesmo passeio por USD30 por pessoa! Menos da metade! Só que para chegar lá foi complicado! Não era simplesmente chegar em Speyside Bay e encontrar várias pessoas oferecendo o passeio! O lugar era deserto! Quase não havia pessoas na praia! Aí as poucas que estavam lá nos informaram que deveríamos ir até o Blue Waters, um Hotel bem top que encontrava-se numa praia particular, pois lá saiam os barcos! O lugar era sensacional! Dessa praia particular do Blue Waters pegamos o barquinho para Little Tobago! Esse passeio, particularmente não nos surpreendeu como esperávamos! As fotos da internet mostravam paisagens bem mais bonitas! Fomos até lá, ancoraram o barco e subimos o morro fazendo uma trilha, escutando o guia contar a história da ilha e vendo alguns poucos pássaros! Foi tudo bem bonito e cultural, mas sinceramente, abaixo das expectativas! Por USD30 vale! Mas por USD80 nem a pau Juvenal! Na volta do passeio paramos no meio do mar para fazer snorkel! Água bem clarinha, visibilidade top, mas infelizmente com pequenas águas vivas que acabaram nos incomodando um pouco!


GOPR2009.JPG
IMG_8933.JPG
G0381940.JPG

IMG_8944.JPG

IMG_8937.JPG
G0391946.JPG
GOPR1992.JPG

GOPR1998.JPG
G0401966.JPG

GOPR1990.JPG
G0411978.JPG

Buccoo Bay

A praia envenenada!!! Rsrsrs Essa praia era linda demais! De cinema! Areia amarela e água azul caribe! Mas muitas, muitas árvores venenosas! Aí complica, pois além de pegar alergia não queríamos pegar um veneninho extra! Caminhamos a praia toda, deserta e com um sol de rachar a careca! Nessa praia o povo local oferece uns passeios a cavalo dentro d’água! Acabamos passando pelos turistas que estavam a cavalo em direção à praia na hora de voltar para o Hotel, mas acabamos decidindo por não acompanha-los. Mas fica aí a dica de um passeio um tanto quanto diferente! Essa praia não tem estrutura nenhuma. Então é fundamental levar o que comer e o que beber.


Quando estávamos voltando um nativo ficou assustado com o vermelhidão que eu estava no meu colo - muito pela alegrgia - e gentilmente me deu um pedaço de uma planta que eu desconfio que seja babosa cortada para passar no local. No início desconfiei, mas estava coçando tanto que eu acho que eu passaria qualquer coisa que me dissessem que ajudasse. E que alivio!! Aquela planta melequenta combinado com o ar condicionado aliviou bastante..


IMG_9136.JPG
IMG_9137.JPG
GOPR2563.JPG

GOPR2549.JPG
G0612591.JPG

G0592556.JPG
IMG_9140.JPG
G0602569.JPG

GOPR2574.JPG
IMG_9139.JPG

IMG_9149.JPG
IMG_9153.JPG

Virada de ano

Não fazíamos ideia do que fazer no Réveillon de Tobago até que, numa breve pesquisa no Google encontramos o calendário dos principais eventos do país através do site http://www.destinationcaribbean.net. Nesse site encontramos uma festa chamada “Barefoot on the beach” que significa “Pés descalços na areia” e compramos o ingresso em http://islandetickets.com. Foram 96USD por pessoa por uma festa das 21 às 03h, com bebida e comida incluída, 3 DJ´s, fogos de artifício às 00:00h, literalmente com os pés descalços na areia. Apesar de no estacionamento da festa termos encontrado muito barro, sapos e morcegos, a festa foi top! Sem brasileiros, com muita comida e bebida boa ale´m de docinhos de sobremesa.


IMG_9093.JPG
IMG_9106.JPG
IMG_9092.JPG

IMG_9091.JPG
IMG_9108.JPG
IMG_9090.JPG

IMG_9116.JPG
IMG_9124.JPG

IMG_9103.JPG
IMG_9109.JPG
IMG_9129.JPG

Mergulho

Perguntamos a um grupo de 16 mergulhadores brasileiros, que estavam no nosso voo, qual era o melhor ponto de mergulho da ilha e eles nos disseram que era para mergulhar através da http://www.underseatobago.com, que se encontrava dentro do Coco Reef Resort. Foi show de bola, apesar de a visibilidade não estar muito boa (6 metros, de acordo com o instrutor Derek) devido a mudança de estação e o mar estar bem agitado. Pagamos 95USD por pessoa. Assistimos a um DVD com instruções de mergulho, fizemos aula numa prainha particular na frente do hotel e depois fomos de barco até os corais, onde mergulhamos por 28 minutos, a 11,3 metros de profundidade com mais um casal de estrangeiros. Na volta, de barco, vimos uma manta bem próxima a superfície, com cerca de 2 metros de diâmetro, mas essa não temos fotos. Só vídeo! Vou colocar a cena no vídeo da viagem.


GOPR2935.JPG
G0662931.JPG

G0672961.JPG
GOPR2974.JPG

G0692990.JPG
G0672966.JPG

G0703026.JPG
G0703023.JPG

Deixe seu comentário aqui que logo publicaremos ...